SOLICITAÇÕES
| 41 3595-8300

SEM BARREIRAS – SISTEMA ELETRÔNICO DE MONITORAMENTO DE BARREIRAS ÀS EXPORTAÇÕES

O Brasil instituiu o Sistema Eletrônico de Monitoramento de Barreiras às Exportações, através do Decreto 9.195, de 09 de novembro de 2017, com a intenção de comunicar acerca da existência de barreiras comerciais externas impostas às exportações brasileiras.

 

No cenário internacional é fundamental que não sejam medidos os esforços para aumentar a participação das exportações brasileiras. Neste diapasão, a identificação de barreiras incidentes sobre os produtos nacionais é imprescindível, principalmente as de ordem não tarifária.

 

Nas ocasiões em que é identificada uma barreira ao comércio brasileiro, o país através de seus órgãos ministeriais, promove ações junto ao governo do país que adotou a medida ou junto a organismos internacionais multilaterais, tais como a Organização Mundial do Comércio.

 

As barreiras comerciais podem ser da ordem tarifária ou da ordem não tarifária. No grupo das barreiras tarifárias, encontram-se os tributos incidentes sobre importações, a fixação de cotas para produtos importados e os subsídios dados aos produtores locais. No grupo das barreiras não tarifárias, destacam-se as chamadas “exigências”, que podem ser inerentes à qualidade do produto ou quanto ao processo pelo qual foi obtido.

 

A maioria das exigências estabelecidas nos países importadores consistem em questões ligadas diretamente à saúde dos consumidores e à segurança alimentar, mas também são consideradas as condições de produção no país de origem, tais como o respeito ao meio ambiente e das condições de trabalho na produção do bem exportado.

 

Serão responsáveis pelo programa, conjuntamente, o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, o Ministério das Relações Exteriores, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária e o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia. Estes órgãos ficarão incumbidos, dentro de suas respectivas competências, a promover as normas complementares necessárias ao cumprimento e efetivação desse sistema.

 

Cada órgão, no âmbito de sua respectiva competência, deverá analisar as informações prestadas pelos usuários para identificar eventuais barreiras externas, definir e executar ações para superá-la, ou na impossibilidade, para mitigar seus efeitos, além de monitorar a sua situação. Os resultados das análises e das ações destinadas à superação da barreira externa identificada ou à mitigação de seus efeitos serão comunicados, pelos órgãos e pelas entidades participantes, aos usuários por meio do SEM Barreiras[1].

 

O sistema permite acompanhar, a qualquer tempo, de qualquer lugar e de forma transparente, as ações adotadas pelo Governo para eliminação dessas medidas ou redução dos seus efeitos.

 

Para a realização da consulta o interessado deverá acessar o website e escolher entre as duas opções: “Empresas, Associações e demais entidades do Setor Empresarial” ou “Outros Usuários”.

 

Na opção “Empresas, Associações e demais entidades do Setor Empresarial” o acesso deverá ser obtido através da utilização de certificado digital, mediante cadastro, inclusive com a indicação de um responsável técnico. Depois do devido cadastro o acesso é liberado, mas não dispensa a utilização do certificado digital. Para o caso de dificuldades técnicas, uma equipe foi disponibilizada para contato através de telefone específico e endereço de e-mail.

 

Na opção “Outros Usuários” poderá ser realizada uma busca simples com a seleção do país e do produto a ser pesquisado, o que pode ser feito através da digitação das características ou através do código NCM preferivelmente.

 

Para as duas opções encontra-se disponível a possibilidade de registro de barreiras comerciais enfrentadas por produtos brasileiros, durante o processo de exportação.

 

O caminho para o livre comércio é longo, mas são atitudes como esta que irão conduzir o país ao crescimento e ao alcance de uma posição de destaque no comércio internacional, eis que o preço da liberdade é a eterna vigilância!

 


[1] Acesso disponível em: http://www.sembarreiras.gov.br/

 

Autor: ARTHUR ACHILES DE SOUZA CORREA

Inscrito na OAB/PR 54.695 e OAB/SP 193.325;

MBA em gestão de negócios internacionais e comércio exterior pela Fundação Getúlio Vargas;

Especialista em direito empresarial pela Escola Superior de Advocacia;

Especialista em direito internacional pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo;

Graduando em Filosofia pela Universidade Federal do Paraná;

Membro da Câmara Britânica de Comércio e Indústria – BRITCHAM;

Advogado na Amaral, Yazbek Advogados.

Leia também

  • 13-12-2018
Você sabe o que é a Lei Geral de Proteção de Dados?
  Já falamos aqui no blog da Amaral Yazbek sobre como a utilização de dados são extremamente relevantes nas estratégias empresariais, como você pode lembrar aqui – quando abordamos o uso estratégico de novas tecnologias para o planejamento ...
  • 12-12-2018
RETROSPECTO TRIBUTÁRIO AY
  03/12/2018 a 07/12/2018   Receita exigirá comprovação de origem de recursos da repatriação Brasileiros que mantinham dinheiro não declarado no exterior e, há pouco mais de dois anos, aderiram ao Regime Especial de Regularização Cambial ...
  • 05-12-2018
RETROSPECTO TRIBUTÁRIO AY
  26/11/2018 a 30/11/2018   Receita Federal pretende fiscalizar operações com moedas virtuais A Receita Federal pretende criar, ainda este ano, um meio para fiscalizar as operações com criptomoedas. Após fazer diligências nas corretoras que a...
  • 29-11-2018
Como proceder em caso de insegurança jurídica como visto na Solução de Consulta Cosit Nº 13?
  Hoje vamos abordar no blog da AY um assunto que tem levantado muitas discussões no âmbito jurídico, empresarial e contábil. Em 23 de outubro de 2018, foi publicada a Solução de Consulta Cosit Nº 13, que visou esclarecer dúvidas geradas pel...