SOLICITAÇÕES
| 41 3595-8300

REVISTA GJ - A inteligência fiscal inibe a concorrência desleal

revista.png

 

Sonegação não é maléfica apenas para os cofres públicos, que deixam de receber recursos, mas para as empresas que estão dentro da lei


Anualmente, as empresas deixam de pagar R$ 500 bilhões em impostos, segundo as estimativas. Os malefícios para o governo, que deixa de arrecadar, são óbvios, repercutindo também nos serviços destinados à população, como educação, saúde e segurança pública. Outro problema desta equação, no entanto, afeta diretamente os empresários.

 

“Essas empresas [que sonegam] geram grande prejuízo ao mercado e causam desestabilização de preços ao provocarem concorrência desleal com empresas sérias, que tributam corretamente”, afirma Lucas Ribeiro, diretor e advogado tributarista da Roit Consultoria.

 

No entanto, a tecnologia que já está sendo usada pelo fisco é capaz de identificar e punir as empresas sonegadoras, fazendo com que, em muitos mercados, a competição ocorra em pé de igualdade. “Com a inteligência fiscal, as Receitas Federal, Estadual e Municipal conseguem, em tempo quase que real, identificar divergências, fraudes e sonegações”, ressalta Ribeiro.

 

A afirmação do consultor é corroborada pelos números da Receita Federal. Em 2017, a instituição bateu o recorde de fiscalizações, recuperando créditos tributários de R$ 205 bilhões, valor 43% acima do planejado para o ano.

 

Escolhas


Apesar do intrincado conjunto de leis tributárias, Ribeiro afirma que as empresas precisam escolher de que lado estão: dos sonegadores ou das empresas sérias. “Enquanto os primeiros concorrem de forma desleal e serão punidos, as companhias sérias fazem o uso lícito de todos os meios possíveis de redução tributária, como, por exemplo, a escolha do regime fiscal, o uso de benefícios fiscais, entre outras possibilidades”, ressalta.

 

Ao ter certeza de que a lição de casa está feita – estando em conformidade com todas as leis –, o empresário não apenas pode monitorar o mercado para ter ciência de custos e comportamentos do consumidor, como pode contribuir para que a fiscalização seja ainda mais eficaz, gerando vantagens para o governo, para a população e seu próprio negócio.

 

Possibilidades

Toda empresa busc

a reduzir custos. Veja algumas possibilidades:

 

- Isenções fiscais – Alguns estados e municípios concedem benefícios para empresas, desde que estejam instaladas em determinados estados ou municípios, podendo alterar a cobrança de ICMS e ISS, respectivamente.

 

- Planejamento tributário – Com um planejamento tributário, a empresa consegue identificar os benefícios e desvantagens de determinados regimes tributários, evitando pagar mais impostos do que o necessário.

 

- Acompanhamento de jurisprudências – As legislações estão em constante mudança. No entanto, jurisprudências estão sendo abertas constantemente, seja no Supremo Tribunal Federal (STF), Superior Tribunal de Justiça (STJ) ou Ministério da Fazenda.

 

Essa é uma matéria que compõem a GJ, nossa revista sobre governança jurírida.

Quer receber seu exemplar da revista Governança Jurídica? Clique aqui e peça a sua.

 

Assine nossa NewsLetter e fique por dentro das novidades!

Nos acompanhe nas redes sociais: Facebook | Instagram | Likedin 

Já conhece o canal Direito da Inteligência de Negócios? Clique aqui e inscreva-se.

Leia também

  • 14-11-2018
Inclusão da noção de eficiência ao direito brasileiro com base na Lei 13.655
  Dando continuidade a abordagem que realizamos anteriormente sobre os desdobramentos da Lei 13.655, hoje iremos falar da noção de eficiência ao direito brasileiro. Contudo, antes de entrarmos no tema propriamente dito, vamos recapitular rapidame...
  • 14-11-2018
RETROSPECTO TRIBUTÁRIO
  05/11/2018 a 09/11/2018   Justiça exclui ICMS destacado em nota fiscal do cálculo do PIS/Cofins Uma empresa de engenharia, outra de vestuário e uma terceira de palmilhas conseguiram no Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região o aval para...
  • 08-11-2018
SERÁ QUE A PROPOSTA DE TAX COMPLIANCE VAI VINGAR?
  Nesta quarta-feira, 31/10, às 18h, vence o prazo para envio de propostas de alteração à Consulta Pública da Receita Federal n. 04/2018, que visa a criação do Programa Pró-Conformidade, por meio de Portaria que tem o cunho de estimular o ...
  • 07-11-2018
RETROSPECTO TRIBUTÁRIO - 29/10 a 01/11
  29/10/2018 a 01/11/2018   Orientação da Receita sobre ICMS do PIS/Cofins impacta compra de créditos A interpretação da Receita Federal sobre a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e da Cofins deve mexer com um mercado que estava supe...