SOLICITAÇÕES
| 41 3595-8300

GOVERNO CRIA NOVO REFIS ATRAVÉS DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 766, DE 04/01/2017

 

Através da recentíssima Medida Provisória nº 766, de 04/01/2017, publicada em 05/01/2017, o Governo Federal criou o novo REFIS anunciado no fim do ano de 2016 como parte do pacto de medidas para a retomada do crescimento do país.

 

Trata-se do Programa de Regularização Tributária – PRT de débitos junto à Receita Federal do Brasil e à Procuradoria da Fazenda Nacional, que alcançará débitos de natureza tributária ou não tributária vencidos até 30 de novembro de 2016, de pessoas físicas e jurídicas, inclusive objeto de parcelamentos anteriores rescindidos ou ativos, em discussão administrativa ou judicial, ou ainda provenientes de lançamento de ofício efetuados após a publicação da medida provisória.

 

O contribuinte que desejar aderir ao programa deve saber que deverá, dentre outras medidas, cumprir regularmente as obrigações com o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS e pagar em dia as parcelas dos débitos consolidados no PRT e os débitos vencidos após 30 de novembro de 2016, inscritos ou não em Dívida Ativa da União, ou seja, deverá manter sua regularidade fiscal.

 

Por isso, ao contribuinte será proibido incluir débitos que compõem o Programa de Regularização Tributária em qualquer outra forma de parcelamento posterior, ressalvada a hipótese de rescisão para reparcelamento (com as perdas das vantagens oferecidas pelo PRT).

 

Os débitos poderão ser parcelados, de acordo com a sua natureza e condição, de até 120 (cento e vinte) meses e a vantagem maior do programa se dará aos contribuintes pessoas jurídicas que tenham prejuízo fiscal acumulado e base de cálculo negativa de CSLL, pois poderá usá-los na liquidação de parte dos débitos fiscais.

 

As parcelas serão corrigidas pela SELIC e os valores mínimos serão de R$ 200,00 (duzentos reais) para pessoas físicas e R$ 1.000,00 (mil reais) para pessoas jurídicas.

 

Por fim, cumpre informar que os contribuintes deverão aguardar a regulamentação deste programa através de ato normativo da Receita Federal do Brasil e da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, quando as regras que viabilizarão a operacionalização da adesão ao PRT serão publicadas.

 

Segue o link para acesso à íntegra da Medida Provisória nº 766/2017 http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Mpv/mpv766.htm .

 

Autor: Dr. Alexandre Fiorot

Advogado no Escritório Fiorot Advocacia Tributária e Empresarial;

Pós-Graduado em Direito Tributário pelo IBET;

 


Leia também

  • 21-02-2019
LIMINAR GARANTE ISS MENOS ONEROSO A ADVOGADOS DE PONTA GROSSA (PR)
    A Justiça Federal do Paraná concedeu liminar para suspender lei municipal de Ponta Grossa que revogou a possibilidade de o contribuinte, incluindo advogados, recolher o imposto pelo valor fixo, conforme previsto no artigo 9º do Decreto-Le...
  • 20-02-2019
TRIBUNAL ESTENDE REINTEGRA ÀS VENDAS PARA ZONA FRANCA
  Em decisão apertada, a 1ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) estendeu os benefícios do Regime Especial de Reintegração de Valores Tributários para as Empresas Exportadoras (Reintegra) às vendas para a Zona Franca de Manaus. O en...
  • 19-02-2019
INSCRIÇÃO DE DÍVIDA FISCAL EM PROCESSO DE FALÊNCIA NÃO PRESCREVE, DECIDE STJ
    A dívida tributária inscrita em processo de falência não prescreve se o Fisco a tiver inscrito em certidão dentro do prazo de cinco anos desde a constituição do débito. A tese foi definida pela 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça...
  • 18-02-2019
JUSTIÇA RETIRA PIS E COFINS DO CÁLCULO DAS PRÓPRIAS CONTRIBUIÇÕES
    A Justiça Federal do Espírito Santo autorizou um grupo atacadista de peças, pneus e acessórios para bicicletas, triciclos e motocicletas a retirar o PIS e a Cofins da base de cálculo das próprias contribuições sociais. A sentença aind...