SOLICITAÇÕES
| 41 3595-8300

Duas novidades podem ajudar empresários brasileiros a enfrentar a crise

  • 31-7-18

Nada é novo quando se fala em crise econômica. O Brasil ainda está buscando o melhor caminho para que a recuperação seja estável e o equilíbrio nas contas, tanto desejado pelo governo quanto pelo setor privado, venha o mais breve possível.

Buscando esse objetivo e ainda dando mais rapidez a processos da dívida pública, o Ministério da Fazenda, através da Procuradoria-Geral daquele órgão, competente para tratar da matéria, emitiu Portaria autorizando os Procuradores da Fazenda a firmarem acordos e concessões em processos judiciais e administrativos, os negócios jurídicos processuais – NJP.

PASSOS RÁPIDOS NA COBRANÇA DE DÍVIDAS PÚBLICAS
A portaria PGFN de nº. 360/2018, publicada em 12 de julho de 2018, “traz benefícios para todas partes, uma vez que se reduz o tempo para dirimir uma questão com o Fisco, o que evita vários problemas, tanto para a União quanto para o empresariado”, esclarece o advogado André Dias de Oliveira, da Amaral Yazbek Advogados.

São NJP’s os seguintes temas: cumprimento de decisão judicial, confecção ou conferência de cálculos, recursos e desistência e forma de inclusão do crédito fiscal e FGTS no quadro de credores.

Segundo Dr. André, “na prática, significa dizer que numa possível demanda judicial em que haja divergência nos cálculos apresentados pelo Fisco e pelo Contribuinte, ambos poderão dialogar buscando encontrar o possível erro e resolver a questão, sem que haja necessidade de delongar o litígio. Ou até mesmo a desistência de possível recursos às instâncias superiores em casos em que a matéria se encontra pacificada nos tribunais, nos termos do Código de Processos”.

É preciso estar atento aos casos em que não é possível essa transação, segundo a portaria são os seguintes:

I – Quando o cumprimento depender de outro órgão (pode ser feito mediante autorização do órgão);
II – Quando o contribuinte sofrer pena de multa;
III – Que envolva disposição de direito material por parte da União;
IV – Que extrapole os limites dos artigos 190 e 191 do Código de Processo Civil;
V – Que gere custos adicionais à União.

OPTAR PELO E-SOCIAL É VANTAGEM PARA QUEM DETÉM CRÉDITOS PREVIDENCIÁRIOS

A lei 13670/2018 trouxe a reoneração da folha de pagamento a muitos setores além de restringir em muitos aspectos a compensação tributária, mas sob comandos que já eram praticados pelos órgãos de recolhimento e fiscalização.

Mas no meio de várias desvantagens existe uma possibilidade extremamente benéfica às empresas optantes pelo E-social, que nada mais é do que a unificação das entregas das informações das empresas ao Governo Federal, a “compensação cruzada”.

“Aquelas empresas que completaram a implementação do e-Social, em sua primeira etapa, já se encontram legalmente autorizadas a realizar a denominada “compensação cruzada”, que nada mais é do que a possibilidade de compensar os débitos previdenciárias com créditos decorrentes de quaisquer dos demais tributos federais. Dessa forma, a Lei Federal n.º 13.670/2018 atende uma importante demanda reivindicada pelas empresas”, destaca Dr. André

Antes dessa alteração, somente poderiam ser compensados os créditos de contribuições previdenciárias e demais tributos federais, quando fossem de mesma natureza, o que inviabilizava bastante a quitação de tributos, agora estará à disposição das empresas a possibilidade de compensar qualquer crédito e débito previdenciário com créditos e débitos de qualquer tributo federal.

CERTEZA DE BONS NEGÓCIOS
Essas mudanças podem com certeza beneficiar empresários de todo o Brasil, facilitando a regularidade fiscal e mantendo em seus bolsos dinheiro importante para alavancar seus negócios, evitando fechamentos, demissões e contribuindo para o crescimento econômico do país.

FONTE: CONTABILIDADE NA TV

Ver mais

  • 04-12-2018
Advogados deixam de ser simples operadores do Direito para serem fonte

Escritórios de Advocacia como Amaral, Yazbek Advogados demonstram como profissionais do Direito podem contribuir na criação do Direito Público

  • 13-11-2018
Processos judiciais de empresas em trâmite no Brasil superam o PIB de países como Canadá, Argentina e Holanda

Estudo revela que os valores envolvidos em todos os processos em trâmite hoje chegam a 1,6 trilhões de dólares

  • 06-11-2018
Saiba o que é o programa de compliance e sua importância para as empresas

Empresas multinacionais para contratarem alguma empresa brasileira, exigem que essa empresa também tenha um programa de compliance

  • 23-10-2018
Empresas são responsáveis por mais de 80% de todas as ações judiciais em trâmite no Brasil

Estudo revela quanto gastam e em quais áreas estão o maior número de processos judiciais