SOLICITAÇÕES
| 41 3595-8300

COMO IMPLEMENTAR UM PROGRAMA DE COMPLIANCE NA SUA EMPRESA

  • 5-6-17

 

Não é novidade que o tema compliance ganhou força nas organizações e na sociedade depois da deflagração da operação Lava-Jato, de outros escândalos similares e da vigência da Lei Anticorrupção. É sabido, também, que as empresas envolvidas em atos de corrupção contra a administração pública nacional ou estrangeira estão sob uma legislação muito mais rigorosa perante o judiciário. Levando em conta que muitas PME concorrem a licitações de grandes empresas, esse assunto também vem impactando na avaliação e na revisão dos processos internos das pequenas e médias, com o objetivo de prevenir as fraudes e torná-las, de fato, competitivas - não a qualquer custo, mas de forma ética e íntegra.

 

Cada vez mais são exigidos mecanismos de proteção e integridade na hora de contratar os serviços. Para estarem resguardadas, a implementação de um código de conduta e ética é a premissa para assegurar que as práticas sejam íntegras. Outras iniciativas também têm sido adotadas por empresas contratantes. Com o objetivo de aprimorar e levar informação à cadeia de fornecimento, as companhias têm investido em programas de mentoria, que mostram os caminhos para a estruturação dos seus mecanismos de governança ética.

 

A cultura do compliance é uma questão de decisão, liderança e comprometimento de toda a organização, independentemente do porte. E, para as pequenas e médias, não implica grandes custos. As declarações de boas intenções precisam sair do papel e passar definitivamente para as atitudes.

 

Alguns pontos são importantes ao implementar um programa de integridade robusto:

 

1. comprometimento da liderança da organização;


2. implementação de um Código de Conduta Ética simples, mas eficaz, com medidas e regras claras;


3. comunicação com todos os públicos, de forma transparente e efetiva;


4. análise contínua dos riscos para os negócios envolvendo  fornecedores, contratos, relacionamento com o cliente etc;


5. definição de ações para a mitigação de riscos e tratamento dos desvios identificados. Por exemplo, se ocorre alguma denúncia, qual a condução?

 

O fato é que a transparência, a ética e o compliance são um caminho sem volta, influenciando cada vez mais a reputação da empresa. A reputação, por sua vez, é a base para a confiança. E esta é um dos pilares da competitividade e sobrevivência empresarial.

 

Para tal, é importante contar com um escritório de advocacia que possa dar suporte nas questões legais e manter a empresa informada sobre atualizações nas leis.

 

Esteja em conformidade com a legislação. O seu negócio e a sociedade agradecem.

 

 

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Ver mais

  • 07-04-2017
IN DUBIO PRO COMPLIANCE
Empresas que investem em compliance precisam contar com o benefício da dúvida a seu favor     Este texto tem destinatários e expectativas bem alinhados: destina-se, mais propriamente, ao Poder Público e a suas agências e órgãos de controle, ...
  • 04-04-2017
CRESCE INTERESSE DE PMES POR AÇÕES DE COMPLIANCE
  As penas severas para o caixa (e a imagem) das empresas previstas na Lei 12.846/13, conhecida como Lei Anticorrupção, que completou três anos da promulgação em janeiro, começam a mudar a percepção dos pequenos empreendedores sobre os risco...
  • 08-04-2017
AÇÃO DA ABTP DESOBRIGA TERMINAIS PORTUÁRIOS PRIVADOS E ARRENDADOS DE PAGAMENTO DE TRIBUTO
  Depois de quase 15 anos em tramitação, o TRF decidiu que as empresas associadas à Associação Brasileira dos Terminais Portuários (ABTP), titulares de terminais privados e arrendados, estão desobrigadas a recolher a taxa ao Fundo Especial de...
  • 13-12-2016
Governo estuda refinanciar dívidas de empresas
  O governo anunciará, nos próximos dias, um conjunto de medidas para turbinar a economia e desviar o foco da crise política, agravada pela divulgação das delações premiadas de executivos da Odebrecht. Na linha de frente, estão ações para...