SOLICITAÇÕES
| 41 3595-8300

COMO IMPLEMENTAR UM PROGRAMA DE COMPLIANCE NA SUA EMPRESA

  • 5-6-17

 

Não é novidade que o tema compliance ganhou força nas organizações e na sociedade depois da deflagração da operação Lava-Jato, de outros escândalos similares e da vigência da Lei Anticorrupção. É sabido, também, que as empresas envolvidas em atos de corrupção contra a administração pública nacional ou estrangeira estão sob uma legislação muito mais rigorosa perante o judiciário. Levando em conta que muitas PME concorrem a licitações de grandes empresas, esse assunto também vem impactando na avaliação e na revisão dos processos internos das pequenas e médias, com o objetivo de prevenir as fraudes e torná-las, de fato, competitivas - não a qualquer custo, mas de forma ética e íntegra.

 

Cada vez mais são exigidos mecanismos de proteção e integridade na hora de contratar os serviços. Para estarem resguardadas, a implementação de um código de conduta e ética é a premissa para assegurar que as práticas sejam íntegras. Outras iniciativas também têm sido adotadas por empresas contratantes. Com o objetivo de aprimorar e levar informação à cadeia de fornecimento, as companhias têm investido em programas de mentoria, que mostram os caminhos para a estruturação dos seus mecanismos de governança ética.

 

A cultura do compliance é uma questão de decisão, liderança e comprometimento de toda a organização, independentemente do porte. E, para as pequenas e médias, não implica grandes custos. As declarações de boas intenções precisam sair do papel e passar definitivamente para as atitudes.

 

Alguns pontos são importantes ao implementar um programa de integridade robusto:

 

1. comprometimento da liderança da organização;


2. implementação de um Código de Conduta Ética simples, mas eficaz, com medidas e regras claras;


3. comunicação com todos os públicos, de forma transparente e efetiva;


4. análise contínua dos riscos para os negócios envolvendo  fornecedores, contratos, relacionamento com o cliente etc;


5. definição de ações para a mitigação de riscos e tratamento dos desvios identificados. Por exemplo, se ocorre alguma denúncia, qual a condução?

 

O fato é que a transparência, a ética e o compliance são um caminho sem volta, influenciando cada vez mais a reputação da empresa. A reputação, por sua vez, é a base para a confiança. E esta é um dos pilares da competitividade e sobrevivência empresarial.

 

Para tal, é importante contar com um escritório de advocacia que possa dar suporte nas questões legais e manter a empresa informada sobre atualizações nas leis.

 

Esteja em conformidade com a legislação. O seu negócio e a sociedade agradecem.

 

 

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Ver mais

  • 13-12-2017
O QUE FAZER COM OS INCENTIVOS FISCAIS DE ICMS
  A conhecida guerra fiscal do ICMS oferecia duas questões a serem enfrentadas: a primeira, mais direta, dizia respeito à constitucionalidade dos incentivos concedidos de maneira unilateral pelos Estados. Isto é, sem cumprir os requisitos legais,...
  • 06-12-2017
IMPOSTÔMETRO REGISTRA R$ 2 TRILHÕES NESTA QUARTA-FEIRA (06), ÀS 11H10
MARCA FOI ALCANÇADA 23 DIAS ANTES EM COMPARAÇÃO COM O ANO PASSADO. O total de tributos pagos pelos brasileiros vai alcançar R$ 2 trilhões nesta quarta-feira (06/12), às 11h10, calcula o Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACS...
  • 21-11-2017
DISTRIBUIÇÃO DA CARGA TRIBUTÁRIA DEVE SER REVISTA, APONTA RELATÓRIO DA CAE
  Para superar a crise fiscal, o Brasil deverá repensar a distribuição da carga tributária. O alerta foi feito pelo senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) em relatório sobre o Sistema Tributário Nacional aprovado nesta terça-feira (21) pela Comis...
  • 12-09-2017
Duas primeiras semanas de setembro têm superávit de US$ 1,376 bilhão
  Nas duas primeiras semanas de setembro, que tiveram cinco dias úteis, a balança comercial brasileira alcançou um superávit de US$ 1,376 bilhão -  resultado de exportações no valor de US$ 4,560 bilhões e importações de US$ 3,184 bilhões...