SOLICITAÇÕES
| 41 3595-8300

COMO IMPLEMENTAR UM PROGRAMA DE COMPLIANCE NA SUA EMPRESA

  • 5-6-17

 

Não é novidade que o tema compliance ganhou força nas organizações e na sociedade depois da deflagração da operação Lava-Jato, de outros escândalos similares e da vigência da Lei Anticorrupção. É sabido, também, que as empresas envolvidas em atos de corrupção contra a administração pública nacional ou estrangeira estão sob uma legislação muito mais rigorosa perante o judiciário. Levando em conta que muitas PME concorrem a licitações de grandes empresas, esse assunto também vem impactando na avaliação e na revisão dos processos internos das pequenas e médias, com o objetivo de prevenir as fraudes e torná-las, de fato, competitivas - não a qualquer custo, mas de forma ética e íntegra.

 

Cada vez mais são exigidos mecanismos de proteção e integridade na hora de contratar os serviços. Para estarem resguardadas, a implementação de um código de conduta e ética é a premissa para assegurar que as práticas sejam íntegras. Outras iniciativas também têm sido adotadas por empresas contratantes. Com o objetivo de aprimorar e levar informação à cadeia de fornecimento, as companhias têm investido em programas de mentoria, que mostram os caminhos para a estruturação dos seus mecanismos de governança ética.

 

A cultura do compliance é uma questão de decisão, liderança e comprometimento de toda a organização, independentemente do porte. E, para as pequenas e médias, não implica grandes custos. As declarações de boas intenções precisam sair do papel e passar definitivamente para as atitudes.

 

Alguns pontos são importantes ao implementar um programa de integridade robusto:

 

1. comprometimento da liderança da organização;


2. implementação de um Código de Conduta Ética simples, mas eficaz, com medidas e regras claras;


3. comunicação com todos os públicos, de forma transparente e efetiva;


4. análise contínua dos riscos para os negócios envolvendo  fornecedores, contratos, relacionamento com o cliente etc;


5. definição de ações para a mitigação de riscos e tratamento dos desvios identificados. Por exemplo, se ocorre alguma denúncia, qual a condução?

 

O fato é que a transparência, a ética e o compliance são um caminho sem volta, influenciando cada vez mais a reputação da empresa. A reputação, por sua vez, é a base para a confiança. E esta é um dos pilares da competitividade e sobrevivência empresarial.

 

Para tal, é importante contar com um escritório de advocacia que possa dar suporte nas questões legais e manter a empresa informada sobre atualizações nas leis.

 

Esteja em conformidade com a legislação. O seu negócio e a sociedade agradecem.

 

 

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Ver mais

  • 09-02-2018
Decisão do Carf facilita uso de créditos antigos
A Embraer obteve duas decisões favoráveis em processos julgados pelo Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) que autorizam o uso de créditos antigos e sem atualização (retificação). Na prática, o precedente facilita o procedimento ...
  • 08-02-2018
Demora da Receita em realizar cálculo do Refis causa incerteza
A demora da Receita Federal em realizar um acerto de contas do novo Refis tem gerado incerteza entre empresas que aderiram ao plano, anunciado pelo governo em 2017. As parcelas do Programa Especial de Regularização Tributária (Pert) começaram a s...
  • 17-01-2018
SP INICIA COBRANÇA DE ICMS SOBRE BENS DIGITAIS
  Três meses após o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) dar o sinal verde para os Estados cobrarem o ICMS nas operações com bens digitais, São Paulo saiu na frente e regulamentou a questão com a publicação do Decreto nº 63.0...
  • 15-01-2018
Procuradoria da Fazenda cria central de denúncias sobre patrimônio de devedores
  A Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional criou um “canal de denúncias patrimoniais” para receber informações sobre titulares de débitos inscritos na Dívida Ativa da União. Segundo portaria publicada na edição desta segunda-feira (15/1)...