SOLICITAÇÕES
| 41 3595-8300

A CONTABILIDADE APLICADA COMO FERRAMENTA DE GOVERNANÇA TRIBUTÁRIA E GERAÇÃO DE NOVOS NEGÓCIOS

Para muitas pessoas, contabilidade aplicada é somente a ciência que estuda os fatos e os lançamentos de uma empresa. Contudo, é possível ter uma visão mais abrangente e estratégica da contabilidade, enxergando-a como verdadeira ferramenta de gestão.

 

A contabilidade aplicada é uma das melhores ferramentas utilizadas por gestores para ampliar os seus negócios, gerando maior lucratividade e obtendo resultados mais assertivos. É possível integrar a contabilidade à gestão de vários modos, e para tanto existem quatro etapas essenciais que devem ser seguidas no processo. A fim de reduzir custos, aumentar lucros e aprimorar o desenvolvimento de pessoas, é necessário se atentar aos seguintes pontos:

 

  • Reconhecimento: identificar problemas e oportunidades;
  • Elaboração: criação das alternativas de ação;
  • Planejamento: avaliação de vantagens e desvantagens das alternativas;
  • Decisão e Implantação: selecionar a alternativa escolhida e anunciá-la com segurança.

 

Primeiramente, é necessário refletir acerca do problema. Discuti-lo como um todo, esmiuçá-lo com a equipe para verificar todos os obstáculos e oportunidades envolvidas. Depois de diagnosticá-lo, seguimos para a etapa de elaboração, em que buscamos alternativas variadas de soluções. Com as possibilidades em mãos, vamos ao planejamento, analisando os pontos fortes e fracos das alternativas de melhorias. Por último, chegamos à decisão e implementação, que consiste em efetivar de fato as deliberações tomadas.

 

Levando em consideração as informações mencionadas, podemos utilizar a contabilidade aplicada como ferramenta para definição do regime tributário de uma empresa. Por exemplo, em casos de empresas que utilizam o Lucro Presumido, a empresa deve lançar os seus fatos contábeis pelo regime de competência. Contudo, o que a impede de realizar tal ato pelo regime de caixa?

 

Por exemplo, supomos que a empresa tenha recebido o valor de R$ 600 mil parcelado em três vezes. É necessário realizar o recolhimento tributário sobre estes R$ 600 mil dentro do regime de competência. Entretanto, se aplicarmos o regime de caixa a empresa fará o recolhimento tributário sobre R$ 200 mil por mês recebido, gerando vantagem de caixa e ativos circulantes.

 

A CONTABILIDADE APLICADA COMO ALIADA NO PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

 

Um exemplo interessante entre o Lucro Real e o Presumido é verificar se a empresa tem participação nas compras e despesas que possibilitam o resgate de crédito, o que já trará grande vantagem. Isso para o Lucro Real, lembrando que o Lucro Presumido não tem direito ao crédito de PIS e CONFINS sobre as entradas.

 

Tudo o que mencionamos é possível com a gestão da contabilidade, o que inclui a implantação do sistema adequado, a verificação, a auditoria de como os métodos são desenvolvidos, entre outros fatores. É válido ressaltar que devemos encarar a contabilidade aplicada de modo diferente ao do passado, em que ela estava restrita aos livros e registros contábeis, pois hoje dispomos de novas oportunidades que a contabilidade pode trazer para as pessoas e para a empresa, como benefícios fiscais e um melhor regime tributário.

A contabilidade está evoluindo, passando por alterações para simplificar a sua forma. Muitos podem questionar, dizer que o SPED é difícil de utilizar, por exemplo, porém tais ferramentas surgem para facilitar a vida de contadores e de gestores, pois os gestores podem acessar as informações das obrigações acessórias e analisá-las de forma a verificar os seus resultados empresariais, como produção, qualidade de produto, desenvolvimento de pessoal etc.

 

Com as informações nas mãos corretas, é possível obter inúmeros benefícios com a contabilidade aplicada. Para tanto, basta enxergá-la como recurso e alicerce empresarial que abre novas possibilidades de negócios e tributação. Isto está intrínseco ao próprio conhecimento do Direito da Inteligência de Negócios, que também visa unir entendimentos jurídicos e contábeis a fim de permitir novas possibilidades de negócios aos empresários.

Leia também

  • 19-10-2018
REVISTA GJ - A inteligência fiscal inibe a concorrência desleal
  Sonegação não é maléfica apenas para os cofres públicos, que deixam de receber recursos, mas para as empresas que estão dentro da lei Anualmente, as empresas deixam de pagar R$ 500 bilhões em impostos, segundo as estimativas. Os malefíc...
  • 19-10-2018
Estudo Custo das empresas para litigiar judicialmente
    O custo para as empresas litigarem, isto é,é alto. Um estudo lançado pelo escritório Amaral, Yazbek Advogados estima o gasto em mais de R$157 bilhões no ano de 2016.   “É uma pequena fortuna que poderia movimentar a economia e servir a...
  • 19-10-2018
Quais são as alterações legislativas que impactam nas compensações das contribuições previdenciárias e como elas funcionam?
  Hoje vamos falar no blog da AY Advogados sobre duas alterações legislativas de grande relevância que irão impactar diretamente na compensação das contribuições previdenciárias. Estamos falando da Lei Nº 13.670 e Nº 13.655, ambas de 2018...
  • 17-10-2018
RETROSPECTO TRIBUTARIO AY
  08/10/2018 a 12/10/2018   Decisão do STJ eleva denúncias contra devedores de impostos Com base na decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que considerou crime não recolher ICMS declarado, promotores começam a oferecer denúncias contr...