SOLICITAÇÕES
| 41 3595-8300

A CONTABILIDADE APLICADA COMO FERRAMENTA DE GOVERNANÇA TRIBUTÁRIA E GERAÇÃO DE NOVOS NEGÓCIOS

Para muitas pessoas, contabilidade aplicada é somente a ciência que estuda os fatos e os lançamentos de uma empresa. Contudo, é possível ter uma visão mais abrangente e estratégica da contabilidade, enxergando-a como verdadeira ferramenta de gestão.

 

A contabilidade aplicada é uma das melhores ferramentas utilizadas por gestores para ampliar os seus negócios, gerando maior lucratividade e obtendo resultados mais assertivos. É possível integrar a contabilidade à gestão de vários modos, e para tanto existem quatro etapas essenciais que devem ser seguidas no processo. A fim de reduzir custos, aumentar lucros e aprimorar o desenvolvimento de pessoas, é necessário se atentar aos seguintes pontos:

 

  • Reconhecimento: identificar problemas e oportunidades;
  • Elaboração: criação das alternativas de ação;
  • Planejamento: avaliação de vantagens e desvantagens das alternativas;
  • Decisão e Implantação: selecionar a alternativa escolhida e anunciá-la com segurança.

 

Primeiramente, é necessário refletir acerca do problema. Discuti-lo como um todo, esmiuçá-lo com a equipe para verificar todos os obstáculos e oportunidades envolvidas. Depois de diagnosticá-lo, seguimos para a etapa de elaboração, em que buscamos alternativas variadas de soluções. Com as possibilidades em mãos, vamos ao planejamento, analisando os pontos fortes e fracos das alternativas de melhorias. Por último, chegamos à decisão e implementação, que consiste em efetivar de fato as deliberações tomadas.

 

Levando em consideração as informações mencionadas, podemos utilizar a contabilidade aplicada como ferramenta para definição do regime tributário de uma empresa. Por exemplo, em casos de empresas que utilizam o Lucro Presumido, a empresa deve lançar os seus fatos contábeis pelo regime de competência. Contudo, o que a impede de realizar tal ato pelo regime de caixa?

 

Por exemplo, supomos que a empresa tenha recebido o valor de R$ 600 mil parcelado em três vezes. É necessário realizar o recolhimento tributário sobre estes R$ 600 mil dentro do regime de competência. Entretanto, se aplicarmos o regime de caixa a empresa fará o recolhimento tributário sobre R$ 200 mil por mês recebido, gerando vantagem de caixa e ativos circulantes.

 

A CONTABILIDADE APLICADA COMO ALIADA NO PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

 

Um exemplo interessante entre o Lucro Real e o Presumido é verificar se a empresa tem participação nas compras e despesas que possibilitam o resgate de crédito, o que já trará grande vantagem. Isso para o Lucro Real, lembrando que o Lucro Presumido não tem direito ao crédito de PIS e CONFINS sobre as entradas.

 

Tudo o que mencionamos é possível com a gestão da contabilidade, o que inclui a implantação do sistema adequado, a verificação, a auditoria de como os métodos são desenvolvidos, entre outros fatores. É válido ressaltar que devemos encarar a contabilidade aplicada de modo diferente ao do passado, em que ela estava restrita aos livros e registros contábeis, pois hoje dispomos de novas oportunidades que a contabilidade pode trazer para as pessoas e para a empresa, como benefícios fiscais e um melhor regime tributário.

A contabilidade está evoluindo, passando por alterações para simplificar a sua forma. Muitos podem questionar, dizer que o SPED é difícil de utilizar, por exemplo, porém tais ferramentas surgem para facilitar a vida de contadores e de gestores, pois os gestores podem acessar as informações das obrigações acessórias e analisá-las de forma a verificar os seus resultados empresariais, como produção, qualidade de produto, desenvolvimento de pessoal etc.

 

Com as informações nas mãos corretas, é possível obter inúmeros benefícios com a contabilidade aplicada. Para tanto, basta enxergá-la como recurso e alicerce empresarial que abre novas possibilidades de negócios e tributação. Isto está intrínseco ao próprio conhecimento do Direito da Inteligência de Negócios, que também visa unir entendimentos jurídicos e contábeis a fim de permitir novas possibilidades de negócios aos empresários.

Leia também

  • 21-03-2019
STF FORMA MAIORIA PARA APLICAR O IPCA-E EM CORREÇÃO MONETÁRIA DESDE 2009
  O plenário do Supremo Tribunal Federal retomou, nesta quarta-feira (20/3), a análise dos embargos de declaração que questionam possibilidade de modulação dos índices de correção monetária e juros de mora a serem aplicados nos casos de ...
  • 20-03-2019
FISCO PODE ACESSAR DADOS DO SISTEMA FINANCEIRO, DECIDE STJ
  O Fisco pode acessar dados do Cadastro de Clientes do Sistema Financeiro (CCS), segundo a 1ª Turma do Superior Tribunal de Justiça. O entendimento contraria tese firmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região. O processo tramita sob ...
  • 19-03-2019
NÃO INCIDE CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE ABONO ÚNICO, DEFINE STJ
    Não incide contribuição previdenciária sobre bônus previstos em convenção coletiva se eles forem pagos em parcela única e sem habitualidade. A tese foi firmada pela 1ª Turma do Superior Tribunal de Justiça, em acórdão publicado na...
  • 19-03-2019
RETROSPECTO TRIBUTÁRIO - 11/03/19 A 15/03/19
    NOTÍCIAS DO PODER EXECUTIVO 1.   FEDERAIS   STF pode julgar este ano se declarar e deixar de pagar ICMS é crime Data: 11/03/2019   O processo em que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidirá se há implicações penais para o não pagame...